Blog

Negócios e amor

Uma das vantagens da nossa geração fazer parte da mudança de paradigma na mobilidade é que a procura de soluções ou de produtos relacionados com a mobilidade sustentável, começa a ser maior do que a oferta. Isso em linguagem comercial tem um nome, mas eu vou chamar-lhe: oportunidades de negócio.

Primeiro inicias-te no ciclismo urbano, vais às massas críticas, encontros, começas a ir trabalhar de bicicleta, compras material na loja ou no olx…
Não satisfeito começas a vender material online e mais tarde abres um boteco com a renda de um quarto, para fazeres manutenção às bicicletas dos teus amigos e amigos dos amigos.
Depois começas as vender material e bicicletas usadas. Mais um ou dois degraus e já começas a ter relações comerciais com fornecedores. O boteco enche e precisas de outro maior. Quando dás por ti já tens um estaminé montado com bicicletas novas, mecânico, contabilista e tudo.

Começas a ver que sofres de um vício perigoso que é o da ambição de querer fazer mais.
E a única forma de satisfazeres esse vício é realmente fazeres mais. E melhor. Fazeres algo realmente teu.

Começas a procurar lá fora no mercado e encontras uma empresa que faz uns quadros diferentes de tudo o que é habitual. Fazes uma montagem, um teste intensivo, mudas um ou outro componente até obteres o resultado desejado. E assim surge o teu primeiro filho. Ou melhor uma filha, chamada Véli.


A Véli é uma bicicleta urbana especial, muito compacta e robusta, desenhada e montada artesanalmente na BK Lisboa. Nasceu em 2014 e apesar de se terem vendido algumas dezenas de unidades só em 2016 é que foi baptizada em Portugal. Já passou por 3 gerações de montagens, sempre com atenção na melhor qualidade dos componentes. Vai a caminho da 4ª, com algumas alterações necessárias no quadro, mas que irá manter a mesma aparência e robustez.

Não é fácil manteres uma marca viva e aquilo que foi feito até agora corresponde talvez a menos de 10% do que devia ser realmente feito para se ter uma marca bem lucrativa no mercado. Pelo menos amor não falta.

Véli ® 
velibike.com
facebook.com/velibike
instagram.com/velibike

Luís


O Luís já andava com a Coluer Landscape debaixo de olho. A bicicleta antiga era pesada e pouco prática para deslocações diárias (e aquele bagageiro frontal extra para poder levar a mochila, soube a mel:)

A Coluer é uma marca espanhola de bicicletas, com produção em Portugal e uma excelente relação qualidade/preço.

Boas pedaladas Luís!!

As ciclovias que pediste

(fotografia MUBi – mubi.pt )

Se és um utilizador frequente de bicicleta, já deves ter ouvido em alguma altura da tua vida, o apito de um automóvel seguindo de um gesto feito com o braço e com o dedo (indicativo), que é como quem diz: “vai para a ciclovia palhaço, se está ali é para tu andares, até porque és obrigado a isso”, “Ah e usa capacete e colete reflector” (aqui já sou eu a divagar) 

Depois chegas ao teu destino, descansas e como sempre pegas no telemóvel, abres o Facebook e num post qualquer de uma notícia sobre bicicletas lês comentários do tipo: “pois há ciclovias, mas depois não as utilizam” e muitos vão mais longe com um “qualquer dia empurro um para la”

Começas a ficar maluco, frustrado. O teu nível de testosterona começa a aumentar e já falta pouco para te transformares num messenger kamikaze em fixed gear de New York city.
Até que são anunciadas novas ciclovias…
E tu respiras fundo 

As novas ciclovias começam a aparecer.
E tu vês que vai continuar tudo na mesma…

Ciclovias muito estreitas, desniveladas, cheias de interrupções e pontos negros, perigosos até para uma avó que ande a 10 km/h quando está com pressa. 

E os teus níveis de testosterona, ansiedade e nervosismo começam a aumentar. Já imaginas os conflitos que vão ser originados pela tua(provavelmente acertada) escolha da não utilização daquelas novas ciclovias.

E começas a ficar arrependido de teres chateado tanta gente por causa da falta de ciclovias. Alguém com poder, por azar leu as tuas exigências e resolveu fazer-te a vontade.

Agora olha, desenrasca-te!

A triste sina de quem tem loja à frente de um cemitério









Grande parte dos nossos clientes acabam sempre por voltar, seja para comprar mais alguma coisa, seja para reclamar ou simplesmente porque sim.
Mas há os que vão e normalmente nunca mais os vemos. Ou pelo menos a probabilidade é muito mais reduzida. Eles vêm de longe, horas passadas no cockpit da sua rainha da estrada, a travessar fronteiras europeias e não só, com um destino em comum: Lisboa – aeroporto. A nossa localização acaba por ser privilegiada, com o aeroporto a 10 minutos de bicicleta, a 20 minutos de metro ou a 30 minutos de carro. Não sei se é a triste sina de quem tem loja à frente de um cemitério, mas a verdade é que tenho a sensação de estarmos constantemente a dizer adeus.

Pensamos fora da caixa


Basicamente que nós fazemos desde 2012 é a promoção de um estilo de vida saudável e que pode começar logo desde bebé em cima de uma cadeira.

Pensamos fora da caixa.

Não vendemos produtos a pensar nas contas que temos de pagar, escolhemos os produtos como se fossem para nós e rejeitamos tudo o que seja de qualidade duvidosa.
São várias as vezes que recebemos determinada peça e logo de seguida devolvemos ou em ultimo caso se o fornecedor não aceitar vai para o lixo.

Fazemos envios gratuitos de algumas marcas e em loja entregamos as bicicletas completamente montadas e afinadas. Qualquer dano que surja por má afinação, a responsabilidade é nossa (independentemente do que possa dizer a lei).

Para além disso normalmente os novos ciclistas saem da loja já com algumas digas de segurança que não se aprendem na escola.

Se não tivermos algum produto encaminhamos para os nossos vizinhos que também precisam de vender, sem esperar nada em troca. Apesar de sabermos que eles fazem o mesmo…

Se com esta política, não nos aguentarmos num mercado que não olha a meios para lucrar, paciência. O trabalho está feito. A missão foi cumprida.

Val Nunes
Directora Executiva deste Estaminé

10 filmes a não perder!

A história do cinema também se fez e faz-se com bons filmes onde a bicicleta é destaque ou pelo menos é bastante utilizada.

Por motivos óbvios não vamos divulgar links para os descarregarem, mas isso não deve ser um problema para vocês googleomaníacos!

Apenas estão os links para trailers (excepto o brasileiro Caminho das Nuvens que está completo)


Gino Bartali: L’Intramontabile





American Flyers

Cyclique

ET

QuickSilver

O Caminho das Nuvens (completo)

Premium Rush

The Man and the Myth


Breaking Away

O escocês voador


Novo ano, novos desafios

Com a reestruturação da marca Órbita, vieram novos desafios para a BK Lisboa, sendo o primeiro, a desconexão como canal directo exclusivo e a promoção de mais marcas de fabrico nacional ou europeu.

Desde 2012 que promovíamos em exclusivo a marca Órbita, não só a nível de marketing, como logístico e técnico. Foram 4 anos com uma excelente parceria que vai deixar saudades. A cooperação e promoção vai continuar, mas num registo mais convencional, como agente e que também vai partilhar o espaço com outras marcas como a Coluer de produção nacional, a polaca LeGrand, a espanhola Megamo e outras que poderão surgir.


A marca ajudou-nos a crescer e a ganhar notoriedade, da mesma forma que também nós ajudamos a marca a elevar o seu padrão de qualidade, oferecendo um contacto mais próximo aos clientes, tanto na exposição de toda a gama ao vivo (a Órbita não tinha nenhuma loja 100%), como em assitência técnica e também na melhoria da construção das bicicletas e na projecção de novos modelos, como a Flex 16.


2017

O novo ano promete. Ainda durante este ano foi feita a apresentação de alguns novos modelos Órbita, que brevemente estarão disponíveis na BK Lisboa e na loja online. Vamos ter também o primeiro sistema de bicicletas partilhadas em Lisboa, produzido pela Órbita e que vai trazer um novo fôlego ao ciclismo urbano, assim como ao comércio local no geral e ao nosso ramo em particular. 

A BK Lisboa, também está mais bonita e a nossa oferta cada vez mais vocacionada para o utilizador da bicicleta como meio de transporte diário. 












Escola e Oficina

Melhoramos as condições da nossa oficina que tem agora mais espaço para receber mais bicicletas, assim como um novo espaço dedicado à formação, não exclusivo à temática, mas que de alguma forma também ajudará a promover a bicicleta como veículo utilitário. Nesse espaço para já iremos ter cursos de inglês e de mecânica de bicicleta*.


*Somos receptivos a outros conteúdos, para isso envie-nos um email com a sua proposta.